UFC Fight Night 39 (Abu Dhabi): “Bem dormido”

Iniciemos mais um evento no Oriente médio com algumas coisas diferentes do de costume. Card preliminar em HD na transmissão do Canal Combate, a ausência de Bruce Buffer na narração (com Andy Friedlander no lugar) e, na luta entre Jhonny Bedford enfrentando o Brasileiro Rani Yahya, um “No Contest”, após uma cabeçada, que fez Beford ficar nervosinho contestando o resultado dos juízes. Fora que ele já quis sair no braço com Rani logo após o resultado. Quero ver essa revanche, pois ela vai ser bem feroz.

Alan Omer e Jim Alers se enfrentaram pelos pesos penas na segunda luta. Foram 3 rounds muito pegados que, no final, resultou na vitória por decisão dividida para Alers. Eu achei que a luta seria de Omer, mas não foi bem assim.

O Brasileiro Thales Leites tentou lutar contra Trevor Smith. Tentou, mas Smith não aguentou um cruzado de Thales e já caiu mole no chão, não tinha dado nem 1 minuto de luta. Bela luta, sem dúvidas.

Lutas de pesados, quando não tem trocação, são mais feias que bater em mãe em dia das mães. A luta entre Jared Hosholt e Daniel Omielanczuk foi assim. Uma coisa feia de se ver. Dois brutamontes tentando fazer alguma coisa, mas ambos sem agilidade suficiente para tal. No fim, quem ganhou foi aquele que aproveitou mais e quem fez isso foi Hosholt.

Ramsey Nijem e Beneil Dariush abriram o Card Principal com, na minha opinião, a melhor luta do evento. Nijem deu uma sova em Dariush, que resistiu bravamente até o momento que o arbitro interviu e deu a vitória para Nijem com um nocaute técnico. O embate já começou bem disputado, com trocações excelentes. Antes de Ramsey encaixar o soco que fez o adversário amolecer no chão, Dariush deu excelentes golpes e, por alguns momentos (mesmo com a luta terminando logo no primeiro round), parecia que iria vencer. Já disse que foi uma ótima luta, né?

A luta entre Jhon Howard e Ryan LaFlare tinha tudo para ser um lutão. Até por que ambos partiram fortemente para cima e assim foi até a metade do segundo round, quando LaFlare deu uma joelhada nos bagos de Howard que o desestabilizou até o fim da luta. Uma pena, afinal, Howard estava na vantagem no segundo round. Por pontos e decisão unânime, LaFlare ganhou a luta, mas não convenceu quem estava na Arena Ferrari em Abu Dhabi.

O “carpinteiro” Clay Guida (que mais parece pescador cachaceiro de alto mar) enfrentou Tatsuya Kawajiri e, como em toda luta que faz, Guida permaneceu elétrico, enquanto Tatsuya foi se esvaíndo durante os 3 rounds. Foi uma luta muito técnica, confesso. Guida, porém, foi muito mais incisivo, aplicou mais quedas e conseguiu levar a luta por decisão unanime. Foi sem discussão, na verdade.

ufc-fightnight-39

This is the main event of the Evening, minha gente!

Finalizando mais esse evento em Abu Dhabi, Rodrigo Minotauro enfrentou o IMC > 30, Roy Nelson. Todos nós sabemos que nenhum dos dois estão em boa fase, mas a do Minotauro é pior. Ele perdeu suas últimas lutas e foram derrotas feias, incluindo, um braço quebrado em uma kimura e um belíssimo nocaute. Mas a minha torcida era para o Brasileiro, mesmo sendo fã do desacreditado Nelson. Porém, eu já sabia qual poderia ser o resultado desta luta (e quem estava acompanhando o evento também poderia prever). A marreta de direita do Gordinho é letal. Tão letal que, após levar 3 knockdowns, Rodrigo Minotauro caiu que nem uma jaca podre no chão. Foi fulminante. Até por que ele já tinha perdido o rumo de casa em alguns desses Knockdowns. Uma pena.

Minotauro, acredito eu, já não aguenta mais tranco como antes. Pode ser pela idade (ou não, já que Nelson também tem 37), pode ser pelo condicionamento físico, mas é notório que ele não é mais o mesmo. Não rende tanto mais e está levando nocautes cada vez mais facilmente.

Seria um triste fim para uma lenda do MMA como foi Rodrigo Minotauro?

O tempo irá dizer.

Aproveitei para fazer uma revanche da luta, mas acho que também não foi uma boa para Minotauro. Veja e entenda:

Inscreva-se.


Quem é Rogério Lima

veja todos os seus posts

Ex-pagodeiro, Empresário, Gamer, Capixaba e criador desse e de outros ~trocentos~ blogs. Está nessa vida desde 2003, mas não ficou nem rico e nem famoso. Gosta muito de receber brindes, mas é sempre esquecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*