UFC 171: Toma lá, dá cá

Começo este texto novamente repudiando o modo como o Canal Combate trata seus assinantes (veja a 1ª nota de repúdio aqui). Não sei qual o problema em passar o card preliminar, também, em HD. O valor de mais de 50 Reais mensais pagos pela assinatura, só pelo canal, deveriam proporcionar isso, mas não o fazem. A Sky, no meu caso, só responde que “depende da disponibilidade do canal” e o Canal Combate, nem se manifesta. Espero que não demorem mais para resolverem uma coisa que, pra mim, é uma falta de respeito. Principalmente nos dias de hoje onde tudo é em alta definição.

Enfim, comecemos então com Rob Whiteford e Daniel Pineda abrindo o UFC 171 com a primeira luta do card principal e depois de algumas tentativas frustradas de leglocks, Whiteford levou por decisão unânime.

Já na segunda luta, Bubba McDaniel e Sean Strickland já começaram a agilizar o evento. Sean aplicou um mata-leão faltando 49 segundos para terminar o primeiro round. Foi bonito de ver, principalmente para um estreante como ele.

A terceira luta entre Justin Scoggins e Will Campuzano foi uma luta bem agressiva, principalmente por parte do Scoggins. Uma luta, ao meu ver, sensacional. Porem, limitada. Vitória para Scoggins, com mais uma decisão unânime.

Renee Forte, o primeiro Brasileiro no evento, enfrentou Francisco Trevino. Para mim, os dois rounds foram de Renee, mas acho q os juízes não viram isso e deram a vitória (em mais uma decisão unânime) para Trevino. O primeiro garfo da noite. Vai vendo.

Sean Spencer e Alex Garcia se enfrentaram pelo pesos médios. Eu não dei muita bola pro primeiro round, mas o segundo… Meu amigo… Que que foi aquilo. Os dois tontos com um só objetivo: nocautear. Mas não deu tempo. E, no final, a luta ficou para Garcia em uma decisão dividida. Luta sensacional.

Depois de perder a luta entre Jimy Hettes e Dennis Bermudes, mais uma estreiante entrou no Octógono: foi a Raquel Pennington contra a Brasileira Jessica Andrade. Uma pena que não consegui ver o embate direito, pois um problema com a famosa página “Irmã Zuleide” e meu vídeo com a paródia do Lepo Lepo , tirou o meu foco das lutas (saiba mais aqui). Só sei que a Brasileira ganhou.

Kelvin Gastelum ganhou o embate contra Rick Story em mais uma luta que não consegui acompanhar também, por conta do problema ja comentado. Enfim. Nem vi quem ganhou.

ufc-171Venceu, mas não convenceu, ok, programador de PHP?

O card principal começou com uma dormida, que Ovince Saint Preux proporcionou para Nikita Krylov logo no primeiro round. Foi esquisito, até, pois foi uma submissão bem diferente do que estamos acostumados.

Jake Shields e Hector Lombard foi a melhor luta da noite, sem dúvidas. Lombard brincou. Deu uma surra. Não deu mole em nenhum momento e, por T.K.O, venceu Shields, que saiu arrebentado.

Diego Sanchez e Myles Jury fizeram uma chuva de sangue no octógono. Muita porrada, muita provocação e cara de mau. No final, quem se deu bem foi Myles

Carlos Condit contra Tyron Woodley foi uma boa luta, naquele estilo Condit de ser, com golpes contundentes, até mesmo por parte de seu adversário. Mas, no segundo round, Condit foi traido pelo próprio joelho. Um chute na perna esquerda fez com que ele girasse para o lado errado e: pimba! Adeus aos ligamentos do joelho direito. A tensão na expressão de dor foi notória já na queda e, infelizmente, não deu pra Condit.

Johny Hendricks finalmente é o dono do cinturão. Mas há controvérsias. Depois de ter sido roubado na luta contra GSP (leia aqui), ele enfrentou Robbie Lawler e, em 5 rounds de muitos socos, roubaram a favor de Hendricks e deram uma vitória por decisão unanime. Não sei como, mas deram. Foi notório que Hendricks não era o mesmo que lutou contra Georges Saint-Pierre. Na pesagem ele já não tinha batido o peso (veja a pesagem aqui), apanhou demais e socou de menos. Lógico que tem aquela da vantagem da envergadura, pois Lawler era bem mais “longo”, mas não era desculpa. Tomaram o cinturão de Hendricks lá no 158 e deram para ele cá no 171.

171. Títulos roubados. Tudo a ver.

Veja também: Resumão do UFC Fight Night de Natal.


Quem é Rogério Lima

veja todos os seus posts

Ex-pagodeiro, Empresário, Gamer, Capixaba e criador desse e de outros ~trocentos~ blogs. Está nessa vida desde 2003, mas não ficou nem rico e nem famoso. Gosta muito de receber brindes, mas é sempre esquecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*