O Rappa e a trilha sonora dos protestos no Brasil

Sempre fui muito fã d’O Rappa. Acompanho a banda desde os meus 15 anos, logo quando eles lançaram o disco “Rappa Mundi”, quando cheguei ir em um show no qual eles abriram um dos Raimundos, que estavam bombando na época, ouço e até compro os discos da banda.

Atualmente, venho observando todas estas manifestações que, lideradas por uma geração 10 anos mais nova que a minha (já tenho quase 31 e tals), que cresceram ao som de Charlie Brown Jr., também ouviram O Rappa em seu auge. Até que um “Vem pra rua” virou hino de uma mudança de comportamento na população. Mas será que foi só isso? Digo-vos: Não. Existe uma trilha sonora completa para ilustrar estas manifestações, todas gravadas pela banda de Falcão. E mais: podem elas ter influenciado o comportamento da massa.

Abrindo nosso primeiro Dossiê aqui no blog, vamos aos fatos. Pois sem eles, não existem argumentos:

O cidadão conformado

O trabalhador vai todo dia, andando apertado em uma condução, levando sua marmita quentinha, para passar o dia inteiro longe da família. Como nos ônibus, metrôs e trens também andam muito lotados, fazendo sua marmita chegar amassada no seu local de trabalho. São praticamente animais sendo carregados. Rodo Cotidiano é a música que ilustra esta situação diária e incômoda, que enfrenta o trabalhador no Brasil:

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/79783/

O sofativismo

As redes sociais foram o início das reclamações, mas meio que sem efeito no começo. Mas ficar em casa, muitas vezes, era o cenário para desbravar sonhos mais ousados. E foi por lá, que todos desafiaram o mundo, sem sair das casas, mesmo anonimamente, pois assim ninguém acha ninguém. Me deixa mostra, ilustradamente, como foi isso:

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/47767/

O chamado

A revolta foi aumentando junto com as reclamações. E, o chamado foi dado. E o chamado, despretenciosamente, virou hino. Ouça:

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/vem-pra-rua/

E todo mundo foi pra rua

O que acontece quando todo mundo vai para a rua protestar e reclamar sobre a mesma coisa? Sim, um Mar de gente. Verdadeiramente um “milagroso dia”:

Acompanhe e letra: http://letras.mus.br/o-rappa/79787/

O sonho vs. O oportunismo

Não era de se esperar que as manifestações se transformassem, logo, em um palco para as Eleições que irão ter no ano que vem. A retranca da Polícia sobre a batuta dos Governos impediram, violentamente, que a revolução fosse ainda mais avassaladora. Fuzis com balas de borracha, no meio do caminho. Foi assim que Bitterusso Champagne marcou esta passagem do tempo:

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/79785/

E a massa só aumenta

Não bastava protestar. Teria que fazer o Brasil todo parar. E parou. Todas as vias principais, das principais cidades. Simultaneamente. Protestando. Como descrito, detalhadamente, na música Linha Vermelha:

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/79792/

O levante do Herói

A necessidade de que um líder surja, no meio da multidão, é prioridade. Mas quem vai ser a liderança nessa hora? Para muitos, o herói de tudo isso, mesmo que erradamente, é aquele que sai de casa, disposto a quebrar tudo. O cara que sai de casa, empunhando um pedaço de pau (ou até mesmo facas e armas, como aconteceu aqui em Vitória) para poder, na força, promover a mudança. Impor a sua moral. Mas tradado como marginal, nesses casos, acaba sendo preso e não poderá ver o brilho da manhã. Hey Joe, assim não!

E tome bomba

Os mais exaltados, porém, enfrentam novamente a fúria da PM, sempre regida por maiores autoridades que querem manter a ordem. Com suas bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral. Mas é só com estrago, muito estrago, que o mudo conseguirá ver. E viu. Desta vez, o Homem bomba, pode não ser o inimigo:

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/47765/

Tudo devidamente registrado para a posteridade

Todo o tipo de protesto. Todo o tipo de material. Paus, pedras, fogo, barricada, Senhoras, crianças e jovens, muito jovens. Todos no meio do Tumulto, com risco de tomarem, como várias pessoas, tiros de borracha, mas sempre registrando os prós e os contras. Parece brincadeira, mas a comunidade não aguenta mais:

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/67925/

A paz que eu não quero

Depois de tanto tumulto, quebra quebra, o Governo parece que acordou. Mais até que o gigante (que nunca dormiu), mas muito mais assustado. Preços altos revogados, PEC’s caídas, mas o Brasileiro não quer mais paz. Não quer ficar acomodado. Acabou o sossego e a Minha Alma grita: Paz sem voz não é paz! É medo!!

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/28945/

E no fim de tudo…

O Brasileiro quer mudança. O Brasileiro quer ser feliz, pagar menos impostos e, claro, quer ver a Seleção Brasileira se dando bem, mesmo discordando com todo o dinheiro gasto pelo Governo junto com a Fifa. Eu quero ver gol e ver o povo feliz. E você?

Acompanhe a letra: http://letras.mus.br/o-rappa/75764/

O Rappa é e será sempre uma das maiores bandas do Brasil. Como disse, sou muito fã. As observações feitas neste post não implicam que toda essa influência, mesmo que não explícita, pode ter sido verídica. Como no final da novela, casos, nomes, pessoas e situações são “mera coincidência”.

Mas eu não duvido.

Em breve mais um Dossiê, aqui no Bobolhando, levantando mais algum assunto polêmico.

UPDATE: Antes que falem mais uma vez que “Vem pra rua não é do Rappa” eu digo: Eu sei disso. Mas não falei que a música era deles no texto, mas que foi gravada por eles. Aliás, algumas músicas daí também não são deles, mas foram gravadas pela banda. Forte abraço e mantenham-se firmes!


Quem é Rogério Lima

veja todos os seus posts

Ex-pagodeiro, Empresário, Gamer, Capixaba e criador desse e de outros ~trocentos~ blogs. Está nessa vida desde 2003, mas não ficou nem rico e nem famoso. Gosta muito de receber brindes, mas é sempre esquecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*