Galo cozido e arroz na sopa de letrinha

E, com o fim da 13ª rodada, vamos lá:

Nos jogos de Sábado, dois “clássicos” entre Botafogo x Goiás e Náutico x Atlético/MG. No primeiro, o destaque foi a escolha, por parte da CBF, de uma bola especial na cor verde, para a partida.

Como existe essa mania imbecil de dar nome às bolas, como ocorreu com a Jabulani, Tango, Azteca, entre outras, essa atendia pelo nome de “Walter” e parecia não gostar muito do Botafogo, fato que já ocorre há 109 anos (ano de fundação do “Put Fire”), com todas as outras bolas utilizadas.

No outro jogo, apenas um vergonhoso empate. Que vergonha, Náutico!!

E o Z4 continua emocionante!

Coritiba x Vasco deixou clara a intenção do Coxa em não ganhar nada esse ano. Nem do Vasco. Eliminados da Copa do Brasil e tomando gol de um jogador chamado Pedro…Ken??

Melhor já arrumar as malas e começar logo a Sul-americana, Coritiba.

O Santos, que vinha de um empate com o Corinthians na última rodada, por 2×2 (sim o Corinthians conseguiu tomar DOIS gols desse time do Santos), foi pra BH brincar de esconde-esconde com o Cruzeiro.

Ninguém achou ninguém e a mãe dos meninos da Vila chamou para dentro por que ia começar a chover e tava vindo um vento encanado por aí.

0 x 0 de ataque contra defesa, Cruzeiro líder.

Portuguesa x São Paulo era mais um duelo de quem vai jogar às Terças e Sextas ano que vem.

Parece que o Aloísio quer arrumar uma vaguinha no gol ou em algum time de vôlei, pois tirar uma bola que ia entrar, à favor da própria equipe, aos 43 minutos da segunda etapa com a mão, é pra acabar mesmo.

Como diria o “cerol fino” mor, Renato Gaúcho: “Vamos brincar no Brasileiro”.

Vai brincando aí, São Paulo!

O Fla x Flu trouxe à tona um fato existente no imaginário futebolístico: O Flamengo adora fazer um gracejo com os seus irmãos caseiros, mas quando sai de casa, leva surra de piroca mole de deus e o mundo. Vide Bahias , Portuguesas, Santo Andrés e Américas MX da vida.

E foi contando os pontos para o escape da degola com lápis, digo, canetas e papel na mão, que os rubro-alvi-negros (Sim senhor! Camisa preta e vermelha com os calções brancos é o que? É T-R-I-C-O-L-O-R! Estou mentindo?) fizeram até gol de letra. Qual letra foi? Ninguém sabe. Até por que ainda não decidiram se escrevem “Ernane” ou “Hernane”.

placa-cipa

Enquanto isso, no local da construção do novo C.T. do Flamengo…

E o jogo do Palmeiras hein?

Alguém viu?

Alguém?

Aqui na série A colocaram senha tipo “controle dos pais” para a TV não transmitir partidas das divisões subalternas. Por isso não sei.

Palmeirense, quando (e se) voltar pra primeira divisão, passa aqui na minha mesa.

Por hoje é só, pessoal!

(você fez a voz do gaguinho na cabeça, que eu sei!!)


Quem é Marcio Yguer

veja todos os seus posts

Marcio Yguer é um autor convidado e este texto não representa a opinião do Bobolhando. Somos um site aberto às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob uma licença Creative Commons e você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e ao nosso humilde blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*