23 de Setembro

Dia 23 de Setembro será um dia especial para toda a minha vida. A exatamente 1 ano atrás, passava por uma tristeza enorme. O que eu achava que seria uma vida que iria vir, não passou de mero faz de conta que o destino traçou com um “óvulo não fecundado” e aquela sensação de “Por que?” era uma constante. Um misto de expectativa e receio rondava a nós, Eu e Ela, divagando aquela de que vai acontecer novamente ou não. Passado o Natal, vem a confirmação: Nova Gravidez e, mesmo ainda não enxergando nada no Ultrassom, eu sabia: Ele estava ali.

Observando a barriga crescer (a dela e a minha também, por obesidade), dei início à minha imaginação e sempre me pegava pensando: “Como será a carinha dele?”. No dia dos Pais, pensei em relatar como é essa espera toda, mas achei melhor que não. Queria sentir a emoção por completo, se não, não teria graça.

Pois, é. Passou-se 1 ano da tão temida e má lembrada curetagem e onde estamos? No hospital novamente. Desta vez, a tensão e o nervosismo são tantos que já não sabia o que fazer, para aonde olhar e ficava socando a bancada, atrás do vidro, esperando impacientemente “notícias”! Como estava minha mulher? Já nasceu? Por que não abrem essa bendita dessa persiana?

De repente, vejo um pé, ao lado da persiana e pensei: “É agora!”. O abrir dela me fez entrar em choque. Não sabia se olhava para a tela da câmera, se olhava lá na incisão ou se brigava com a minha sogra. Pensei: “Meu Deus, olha isso!” – Como que não acreditando no que estava presenciando…

Ainda tenso, logo após presenciar o parto, esperava notícias de minha mulher. Atônito. Sem saber para quem olhar e, novamente, deixo meus sentimentos aflorarem. Sobrou para a minha mãe, coitada. Minha aflição quadruplica quando a pediatra diz: “Ele não chorou, vai ter que ficar no oxigênio”. Tudo aquilo que é passado, roda novamente em minha mente como um VT em slow motion. Será? – me pergunto.

Entrei em mim mesmo questionando que como você pode amar uma coisinha que você nem viu e que, quando vê, ama mais ainda? Tentei de várias formas segurar minha emoção, não chorando, disfarçando, mas é impossível ser de ferro o tempo inteiro.

Ao escrever este texto, lembrando de cada cena passada nestes 365 dias, mal posso enxergar o monitor. As letras embolam, falta ar. Mas isso é tudo é um presente. Quem acredita, fala que é de Deus. Quem não acredita, eu não sei. Mas sei que isso é divino, inexplicável. Imagina para a mãe! Nem tento. São emoções diferentíssimas.

Tudo isso, todo esse amor, todas essas lágrimas são somente para dizer uma única coisa:

Seja bem vindo, meu filho!


Quem é Rogério Lima

veja todos os seus posts

Ex-pagodeiro, Empresário, Gamer, Capixaba e criador desse e de outros ~trocentos~ blogs. Está nessa vida desde 2003, mas não ficou nem rico e nem famoso. Gosta muito de receber brindes, mas é sempre esquecido.

13 Comentários/Trackbacks

  1. Caro Rogério, à 5 anos passei por esta experiência, nunca consegui traduzir em palavras o que senti quando ví meu filho pela primeira vez, ainda hoje, passado todo este tempo, vê-lo é a coisa mais maravilhosa do mundo, ouvir sua voz é um bálsamo, é quando todas as neuras do dia terminam. Parabéns, que ele tenha vindo com saúde, e que Deus ilumine seus caminhos afastando todo o mal.

    Cleider Costa / Responder
  2. Parabens velho!
    Tudo de bom pra voces tres, que sejam muito felizes!
    Abraço!

    Lucas / Responder
  3. Aeeeeeeeeeeeeee caralho!!! Parabéns porra!! Já sabe quem é o pai? Abraços!!

    Thiago Caetano / Responder
  4. AÊÊÊÊÊÊ! Bobo Jr., que tenha muita saúde o/

    Christian Prando / Responder
  5. Parabéns Sr Rogério.
    Essa alegria é inexplicável, só quem é pai mesmo entende. tbm tenho uma filha que hj tá com 3 aninhos, foi o maior presente que ganhei na vida.
    Deus abençoe seu filho, você e sua família. Sucesso amigo!
    E se lembre: “Pai é quem cria!” kkkkkk

    Jhonny - Coca Gelada / Responder
  6. Você me fez derramar lágrimas masculinas, seu bosta.

    Vais pagar por isso um dia.

    O Garçom / Responder
  7. De fato, a gente fica é todo derretido quando um bebê nasce! É involuntário! Já manda aquele ooowwnnn quando olha!!
    E….quase nasce no #emoday hein pai?!!rs
    Parabéns, patrão! Que seu filho tenha muita saúde!
    Beijo.

    Emily / Responder
  8. Parabéns Rogério. Desejo a seu filho bastante saúde. Que Deus o abençoe e abençoe cada vez mais sua família.

    Paulo Napa / Responder
  9. Sensacional! Cara, desejo muita felicidade e saúde pra esse bacuri, sua esposa e você. Sério mesmo! Li seu texto e achei fantástico. Deve ser uma emoção sem igual… uma dia chego lá!

    Um abraço!

    Thalles W. / Responder
  10. Rogério, Deus abençoe, muitas felicidades!

    Angela / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*